Meio bilhão de pessoas utilizam o Stories do Instagram

O Facebook acaba de divulgar um balanço das suas redes sociais que traz um dado impressionante: 500 milhões de pessoas utilizam o Stories diariamente. Se esse número já é incrível, o que podemos dizer então da soma dos aplicativos do Facebook, que juntos, tem a ferramenta Stories utilizada por 1,25 bilhão de pessoas, como mostra o gráfico abaixo: 

É, sem dúvida, uma péssima notícia para o Snapchat, criador do formato Stories e que agora está vendo desesperadamente sua plataforma minguar. O fato é que cada vez mais e mais pessoas estão se identificando com o modelo de compartilhamento de histórias tanto do Facebook quanto do Instagram. 

Do ponto de vista comercial, o Stories se firma como uma das principais ferramentas para impulsionar vendas e gerar engajamento. Se você ainda não considerou o formato em sua estratégia digital está perdendo tempo e dinheiro. Para os Jornalistas que trabalham com Gestão de Redes Sociais já não é mais possível deixar o Stories de lado na hora do planejamento de conteúdo.

E por falar em conteúdo, é importante tomar alguns cuidados na hora de compartilhar os posts. Vídeos espontâneos geram mais autenticidade e são a cara do Stories. Mas cuidado! Um vídeo muito longo pode provocar vários cortes e fazer com que a audiência perca o interesse e vá caindo conforme sua exibição. 

Outra possibilidade é a ferramenta de perguntas e respostas. É incrível! Gera engajamento, autoridade de marca e desperta a curiosidade dos usuários. A gente vai falar mais sobre Stories aqui no Blog e também no Instagram. Fique ligado! 

Quer receber nossa newsletter que traz uma curadoria de conteúdo para quem trabalha no mercado digital? Então cadastre-se agora mesmo: http://bit.ly/curadoria_digital_educators

Youtube vai barrar conteúdo extremista

Nessa semana o Yotube anunciou que vai minimizar o alcance de vídeos que contenham conteúdo extremista. Entenda por conteúdo extremista aqueles vídeos que prometem curas milagrosas, pseudociência no nível Terra Plana ou mesmo teorias conspiratórias a respeito de eventos históricos recentes.

Ufa! A gente agradece!

A ideia é que a diminuição do alcance de vídeos extremistas pelo Youtube comece pelos Estados Unidos. Mas certamente o Brasil deverá receber essa nova norma em breve. Como não violam a conduta de serviço do Youtube, os vídeos continuarão no ar, mas sairão, aos poucos, das listas de vídeos sugeridos pelo Youtube.

O Youtube vem sendo acusado de ser um dos principais núcleos de radicalização política da Internet. Muitos internautas são apresentados a ideologias extremistas pela primeira vez, porque após assistir a um vídeo inocente no Youtube sobre um determinado tema o algoritmo sugere uma lista com visões conspiratórias relacionadas.

Vamos ficar de olho nesta e nas próximas atualizações do Youtube. Não perca nenhuma delas.

Receba nossa curadoria de conteúdo digital. Inscreva-se neste link:
http://bit.ly/curadoria_digital_educators